segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Dionísio

[Foto: André L. Soares]

DIONÍSIO
(André L. Soares)
.
Não temo a loucura arriscada
que parece acompanhar tudo que é novo.
O que mais me assusta é a inércia da certeza,
que insiste em macular de tédio o amanhã,...
pelo extraordinário que inexiste
nas coisas seguras.
.
Quão insípidas são essas horas
todas já tão planejadas,
esses passos firmes, por estradas retas,
acinzentando o mundo com prévios resultados.
.
Sei que posso estar errado,...
mas prefiro o inusitado
perigo das curvas.

.
.
Del.icio.usTechnoratiDiggSimpy

11 comentários:

  1. também quero o novo, o arriscado, aquela dor imensurável na boca-do-estomago de ansiedade pelo amanhã, o saber sem saber de nada, a exaltasão, o extase, o impulso, os erros, a vida, o que vier que venha fresco que venha de surpresa, que me tire do cotidiano ao menos um pouco, que seja uma lombada!


    Lindo poema,como sempre!

    ResponderExcluir
  2. A vida nos convida a viver! E, se o seguir é inevitável, por que temer as curvas, não é mesmo? Meu querido,... seu poema é belíssimo! Mas também, vindo de você, o que esperar? Parabéns, André! Obrigada pela deliciosa leitura!

    Ter mais esse espaço para ler sua poesia é um deleite para minha alma.

    Beijusssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Perfeito, André!
    Antes lançar-se ao abismo... Melhor deixar a luz passar através do prisma e experimentar as delícias de muitas e diferentes cores. Bjs e inté!

    ResponderExcluir
  4. André, seu poema é lindo demais! As curvas fazem parte de nossa estada aqui nesta esfera, não é?

    Rita querida, obrigada por seu comentário lá no Márcia Sanchez Luz. Você é sempre tão carinhosa em suas palavras!
    Já tinha vindo aqui, mas não tinha dado tempo de comentar. O blog está um show, viu?

    Beijos, com carinho,

    Márcia

    ResponderExcluir
  5. vim até aqui pelo convite agradável da rita costa :)
    Gostei.
    Adoro poesia e gostei muito do que li...
    É bem verdade...que grande parte das vezes " perdemos" a vida pelo medo de a vivermos...

    Abraço *

    ResponderExcluir
  6. Gostei do blog Ipsis literis. Estah bonito e o conteudo poetico eh consistente.
    Voltarei outras vezes.
    Paz e bom humor
    Walmir

    ResponderExcluir
  7. gostei do ipsi literis. bonito. e o conteudo poetico eh copnsistente e belo.
    sorte duradoura a todos.
    voltarei sempre.
    Walmir

    ResponderExcluir
  8. grata pela visita ao meu blogue. muito bom o Ipsi Literis. tb escrevo mas estou numa fase mais de desenhos.
    abraços.

    ResponderExcluir
  9. é uma aventura Dionísica, por certo... Mas eu também prefiro me arriscar, engolfada e apaixonadamente na vida...

    bom encontrar vc nas curvas! ua poética só faz bem nesta trajetória ao horizonte!

    fraternuras
    *

    ResponderExcluir
  10. ...o inusitado perigo das curvas. Adoro-as, principalmente porque são redondas como a forma física do ser humano. Não existe nada extremamente reto. O reto e o paralelo me irritam. Parabéns, poeta! Lindíssimo seu "Dionísio" que nos joga nos braços incertos do inexato. Tem coisa melhor para quem gosta de se perder nas entrelinhas e nos subterfúgios das poesias?

    ResponderExcluir