terça-feira, 11 de novembro de 2008

Poema da Espera


[Under Fall Umbrella - Leonid Afremov]

.
POEMA DA ESPERA
(Eloah Borda)
.
Eu te esperei num tempo de saudade,
e te esperei na minha solidão;
e te esperei nas noites de vigília,
e até nos meus sonhos, te esperei...
.
E te esperei nas datas importantes
– nas festas de Ano Novo, nos Natais,
nas Páscoas, e nos meus aniversários,
eu te esperei... e te esperei... e te esperei...
.
E foi-se o tempo, há prata em meus cabelos,
há marcas no meu rosto, e nos meus olhos
já não há mais aquele antigo brilho
– mas este coração, teimoso e triste,
mesmo sabendo agora que partiste,
pra sempre desta vida, ainda espera...
.
– Espera que se cumpra aqui o meu tempo,
para, quem sabe, te encontrar no infinito...
.
.

Del.icio.usTechnoratiDiggSimpy

7 comentários:

  1. O ‘Poema da Espera’ tem pelo menos duas leituras: uma, relacionada à espera da pessoa amada. E nesse sentido é uma espera feminina. Da mulher que escolheu alguém, conheceu o ápice do sentimento e que, por isso mesmo, não está disposta a aceitar menos da vida. A segunda leitura é mais ampla: engloba a primeira e lhe confere horizonte ainda maior. Trata-se da ‘espera-esperançosa’ (e, acredite, não é um pleonasmo; pois há a ‘espera-obrigatória’; mas o poema fala da espera por livre-arbítrio). Nesse sentido, o poema simboliza a capacidade eterna de todos os seres humanos que sempre acreditam que – em todos os contextos – algo melhor sempre lhes será reservado – nesse ou em outro plano.

    ResponderExcluir
  2. O sonho de um verdadeiro amor é algo que nunca vai embora...

    Eloah,... esse poema é simplesmente maravilhoso. :) Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Eloah, querida, que bom vê-la por aqui!

    A vida é mesmo uma sucessão de esperas... E é a qualidade delas que marca o rítmo da jornada.

    Um dia, nadamos desesperadamente para penetrar um óvulo... Se cá estamos é porque vencemos, pelo menos, aquela corrida. Veja você quanto se corre para conquistar tanta expectativa!...

    Adorei voar nas suas palavras, provavelmente (como sempre) subvertendo-as às minhas próprias angústias. Bjs e inté!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Eloah, estou vindo do seu blog e te achei aqui. Esse seu poema é um pouco triste, mas muito lindo.Eu já tinha lido no seu album no orkut mas li de novo, a gente não se cansa de ler seus poemas, são muito vivos, quero dizer, parece que tem vida própria, e dizem coisas que mexem muito com a gente.Gostei deste blog.
    Bjs.
    Rosa.

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito de poesias. Até mesmo letras de músicas, não ligo muito. As Rosas não Falam, de Cartola, só me liguei na letra depois de solar no violão; música muito bonita. Mas, essa poesia da Espera é muito bonito. Parabens Eloah. Vou voltar mais vezes, a procura de seus poemas.

    ResponderExcluir